PESQUISAR

Abri as portas a Cristo! Meditações sobre João Paulo II

REF.:0010080001043

Em Stock
48H

9,60 IVA inc.

Quantidade

Ficha Técnica

Título: Abri as portas a Cristo! Meditações sobre João Paulo II
Autor: Bento XVI
Ano de edição ou reimpressão: 2012
Editora: Lucerna
Idioma: Português
Dimensões: 145 x 230 x 7 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 96
Peso: 180g
ISBN: 9789898516381

Sinopse

Os textos reunidos nesta coletânea, intervenções que Bento XVI quis dedicar ao grande Papa João Paulo II, são sinais claríssimos de uma memória que continua viva e da particular e profunda afeição que tem o atual Pontífice pelo seu «amado predecessor», que «em nada se preservou, deixou-se consumir até ao fim pela chama da fé. Assim, mostrou-nos como, enquanto homens do nosso hoje, se pode crer em Deus, no Deus vivo que Se tornou próximo de nós. Mostrou-nos que é possível uma dedicação definitiva e radical de toda a vida e que, precisamente no doar-se, a vida se torna grande, ampla e fecunda».

Sobre o autor

Joseph Ratzinger nasceu a 16 de abril de 1927 em Marktl-am-Inn, na Alemanha. Estudou línguas no liceu e em 1939 entrou num seminário em Traunstein, sendo o seu primeiro sinal rumo à fé. Com a II Guerra Mundial foi obrigado a interromper os estudos retomando-os em 1947 numa instituição teológica associada à Universidade de Munique. Em 1951 ele e o seu irmão foram ordenados padres pelo Cardeal Faulhaber. Em 1953 doutorou-se em teologia na Universidade de Munique passando a ser docente na Universidade de Bonn.

De 1962 a 1965 esteve presente enquanto conselheiro teológico na Assembleia do Concílio Vaticano II. De 1963 a 1969 foi professor nas Universidades de Münster e Regensburg. De 1969 a 1980 integrou a Comissão Internacional Teológica Holy See. Juntamente com Hans von Balthasar e Henry De Lubac entre outros, lançou o jornal Communio, uma publicação católica. Em 1977 foi eleito arcebispo de Munique e Freising pelo Papa Paulo VI. Ainda nesse ano foi ordenado pelo mesmo Papa Cardeal ficando titular da Igreja St Mary of Consolation.

Em 1981 tornou-se Prefeito para a Congregação da Doutrina da Fé e Presidente da Comissão Bíblica do Pontificado e ainda da Comissão Teológica Internacional. Publicou textos contra os “teólogos da libertação” da América Latina, impondo atitudes conservadoras sobre a homosexualidade e a procriação medicamente assistida.

Em 1992 publica uma obra sobre o catecismo universal da igreja católica, onde resume as posições doutrinais e disciplinares do catolicismo, revistas segundo critérios de ortodoxia romana. A 19 de abril de 2005 é eleito Papa.

Também pode gostar…