PESQUISAR

Santo Agostinho. A fé e o símbolo. Primeira catequese aos não cristãos. A disciplina cristã. A continência – 32

REF.:0010060000311

Em Stock
Entrega no dia útil seguinte!

25,00 IVA inc.

Quantidade

Ficha Técnica

Título: Santo Agostinho. A fé e o símbolo. Primeira catequese aos não cristãos. A disciplina cristã. A continência – 32
Autor: Santo Agostinho
Coleção: Patrística
Ano de edição ou reimpressão: 2013
Editora: Paulus
Idioma: Português
Dimensões: 135 x 207 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 232
Peso: 344g
ISBN: 9788534937740

Sinopse

Fé é questão de conteúdo doutrinal, de movimento vital. Para Agostinho de Hipona, sem essa segunda dimensão, a primeira não tem frutos; sem aquela primeira, a segunda pode não se realizar integralmente. E por ser vital, a fé é realidade que se comunica, pelas palavras e pelo próprio modo de viver. Assim, a fé cristã, fundada no evento Cristo e na história da salvação, é descoberta do alcance dos fatos desse evento e dessa história. Nessa dinâmica, o Símbolo, ou Credo, não é somente um índice de doutrina ortodoxa. Sua recitação é um lançar-se como sujeito em ato de autoentrega (eu creio), para aprender de Deus o amor, a disciplina que se ensina na Igreja para estender-se pela vida toda. Por isso a necessidade de examinar-se para saber se se ama a si mesmo de modo justo, e para, também justamente, amar o próximo e a Deus, já que é possível amar equivocadamente. Aqui inclui-se ainda a relação com o corpo, que não é mau; pelo contrário, Agostinho afirma sua bondade. Não é o corpo que peca, e sim a alma. É preciso, então, atenção às inclinações da vontade, do coração, e recorrer à graça divina para que a vontade e as intenções sejam retas, e a fé se expanda no quotidiano. Todos esses elementos encontram-se nas obras agostinianas que o leitor tem em mãos.

Sobre o autor

Santo Agostinho (Aurelius Augustinus) nasceu em 354 em Tagasto, no norte de África. A mãe, católica fervorosa, transmitiu ao filho a sua fé ardente. Africano pela raça mas romano pela cultura, foi escritor, filósofo, teólogo e bispo.

Converteu-se ao Catolicismo sob influência de Santo Ambrósio, Bispo de Milão. Foi ordenado sacerdote em Hipona, no norte de África, e eleito bispo coadjutor de Hipona e pouco depois bispo titular. Escreveu tratados filosóficos, teológicos, comentários de livros da Bíblia, sermões e cartas.

As Confissões são geralmente consideradas a primeira autobiografia. Morreu a 28 de agosto de 430, em Hipona.

Também pode gostar…

Back to Top