PESQUISAR

Santo Agostinho. Dos bens do matrimônio. A santa virgindade. Dos bens da viuvez: Cartas a Proba e a Juliana – 16

REF.:0010060000249

Em Stock
Entrega no dia útil seguinte!

30,00 IVA inc.

Quantidade

Ficha Técnica

Título: Santo Agostinho. Dos bens do matrimônio. A santa virgindade. Dos bens da viuvez: Cartas a Proba e a Juliana – 16
Autor: Santo Agostinho
Coleção: Patrística
Ano de edição ou reimpressão: 2014
Editora: Paulus
Idioma: Português
Dimensões: 135 x 206 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 296
Peso: 410g
ISBN: 9788534916646

Sinopse

Este Volume reúne três importantes obras de Santo Agostinho. A Primeira, Dos bens do Matrimônio, é a única síntese expressamente dedicada ao tema do matrimônio em toda a Patrística. Foi composta no ano de 401 como resposta à polêmica suscitada na época em torno da virgindade e do matrimônio: qual dos dois seria mais virtuoso?

Agostinho aborda a questão em perspectiva de novidade em relação às outras opiniões vigentes: não denigre o matrimônio em favor da virgindade e mostra que ele pode ser mais vantajoso que a escolha ascética. Sintetiza essas vantagens, ou seja, o valor do matrimônio em três itens: o bem da prole, o bem da fidelidade recíproca e o bem da indissolubilidade. A segunda obra, A Santa Virgindade, dá continuidade ao debate em torno da mesma polêmica. O autor trata dos valores da virgindade como renúncia em favor do reino e busca de um bem maior.

Entretanto, em harmonia com a primeira obra, esclarece que o casamento não é um mal e procura demonstrar que São Paulo não o condenou. Por fim, a terceira obra, Dos bens da Viuvez, cartas a Proba e a Juliana, coletânea de epístolas enviadas a duas mulheres: Proba, nobre senhora da influente gens Anicia, da Roma imperial, esposa de Probus, o eterno prefeito da cidade, e Juliana, sua nora.

Essas cartas possuem rica temática, tratam também do valor da vida casta e consagrada e de outras virtudes, como a oração e reconhecimento da graça divina. Não são textos de interesse restrito às destinatárias; o tom geral é de gravidade solene, de medida doutrinal, refletindo o fulgor do gênio do autor e do zelo apaixonado que nutria pela Igreja.

Sobre o autor

Santo Agostinho (Aurelius Augustinus) nasceu em 354 em Tagasto, no norte de África. A mãe, católica fervorosa, transmitiu ao filho a sua fé ardente. Africano pela raça mas romano pela cultura, foi escritor, filósofo, teólogo e bispo.

Converteu-se ao Catolicismo sob influência de Santo Ambrósio, Bispo de Milão. Foi ordenado sacerdote em Hipona, no norte de África, e eleito bispo coadjutor de Hipona e pouco depois bispo titular. Escreveu tratados filosóficos, teológicos, comentários de livros da Bíblia, sermões e cartas.

As Confissões são geralmente consideradas a primeira autobiografia. Morreu a 28 de agosto de 430, em Hipona.

Back to Top